BOLETIM DAS RSCM NA ONU | 112

A edição 112 do Boletim das RSCM nas Nações Unidas destaca o Fórum Político de Alto Nível, realizado em julho, em formato totalmente virtual, pelo Conselho Económico e Social da ONU. É um dos primeiros grandes encontros intergovernamentais com uma participação universal e um compromisso alargado de empresários desde o começo da crise da COVID 19. No decorrer do evento, ao longo de 11 dias, realizaram-se 18 sessões oficiais, com 194 Eventos Laterais, 9 Eventos Especiais e 10 Exposições. Nas suas notas finais, o Presidente do CES, Mona Juul, disse: “Não podemos voltar ao velho normal… o normal era parte do problema – em todos os nossos debates sublinhámos a recuperação como apresentando uma rara oportunidade de modelar um novo normal”.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODSs

Ao introduzir o Relatório de 2020 do Desenvolvimento Sustentável, oSecretário Geral da ONU, António Guterres, referiu que antes da pandemia de COVID 19,o progresso relativo ao alcance dos ODSs permanecia desigual e o mundo não estava no caminho certo para os alcançar até 2030. Com a chegada da pandemia, o cumprimento da Agenda 2030 tornou-se mais desafiante, mas ainda mais necessário por causa da crise sem precedentes ao nível da saúde, da economia e da desigualdade social que afeta vidas e o sustento de milhões de pessoas. O Secretário Geral afirmou: “No início desta Década de Ação para os ODSs, apelo a uma ambição, mobilização, liderança e ação coletiva, não só para combater a COVID 19, mas para juntos melhor recuperarmos – ganhando a corrida contra as alterações climáticas, atacando decididamente a pobreza e a desigualdade, capacitando verdadeiramente as mulheres e raparigas e criando sociedades mais inclusivas e mais iguais em toda a parte.”

Reconhecimento do Direito Humano à água

2020 marca o 10.º ano desde que a Assembleia Geral da ONU adotou a Resolução 64/292 que reconheceu explicitamente os Direitos Humanos à Água e Saneamento. Vários eventos abordaram este tema, sublinhando a urgência cada vez maior dada ao tema, pela centralidade do acesso à água como meio de abordar e mitigar a pandemia global de saúde. “Lave as mãos” não é igualmente acessível a toda a gente!

75 anos depois de Hiroshima e Nagasaqui

Passaram 75 anosdesde que Hiroshima e Nagasaqui experimentaram a agonia e a devastação causadas pela bomba atómica, a 6 e 9 de agosto de 1945. O mesmo ano fatídico viu nascer as Nações Unidas. Numa mensagem em vídeo para a Cerimónia do Memorial da Paz em Hiroshima, o Secretário Geral disse que o nascimento das Nações Unidas está interligado para sempre com a chuva mortífera que caiu sobre as duas cidades japonesas. Disse ainda que Hiroshima e as suas gentes preferiram não ser reconhecidas pela calamidade, mas pela “resiliência, reconciliação e esperança”.  Continuam os esforços para se conseguir uma ratificação total, e entrada em vigor, quer do Tratado das Nações Unidas sobre a proibição de Armamento Nuclear quer do Tratado de proibição completa de Testes Nucleares.

Dia International dos Povos Indígenas

A comemoração decorreu virtualmente a 10 de agosto e teve como tema “A Resiliência dos Povos Indígenas”. Os povos indígenas continuam a enfrentar numerosos desafios acrescidos pela pandemia. Destes são notáveis a falta de água potável, serviços médicos inadequados, insegurança alimentar, ocupação e usurpação dos seus territórios assim como o estigma e a discriminação.

Campanha – Amazoniza-te

A 27 de julho a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a Campanha Amazoniza-te. Esta campanha tem em vista aumentar a consciência da população do Brasil e a consciência pública internacional sobre o perigo a que está sujeita a vida na Amazónia, nos seus territórios e na sua população.

Colaboradoras RSCM / Família Alargada

A equipa internacional da JPIC das RSCM, após uma série de encontros em zoom, decidiu dar prioridade ao Cuidado da Terra, (a nossa Casa Comum) durante os próximos meses. O Tempo da Criação, de 1 de setembro a 4 de outubro, será o foco, utilizando o material do Global Catholic Climate Movement (GCCM).